Todos os acasos levam a Cartagena

A carteira de saúde desatualizada fez com que nossa repórter tivesse que reprogramar o roteiro, que previa uma viagem ao Panamá. E a surpresa foi a bela Cartagena das Índias ou simplesmente Cartagena, na Colômbia

Por Luiza Freitas

Não estava viajando sem destino, mas fui parar na Colômbia por acaso. Tirei as férias mais aguardadas de uma vida e o local há muito havia sido escolhido: o Panamá. Como qualquer pessoa organizada, comprei passagem e montei o roteiro com meses de antecedência. Como qualquer pessoa não totalmente organizada (e medrosa), achei desnecessário tomar a vacina de febre amarela - até então não obrigatória. Dia 3 de março, passaporte na mão pronta, para embarcar no voo da Copa Airlines no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro. Sou barrada: há uma semana o Panamá exige a imunização de todos os brasileiros. Sem qualquer possibilidade viável para curtir o país dentro dos 15 dias de folga, procurei outros destinos em que a companhia aérea operava. Tive cinco minutos para escolher. Uni duni tê, o escolhido foi: Cartagena, Colômbia.

MORAL DA HISTÓRIA

Seja qual for o destino, tome todas as vacinas! Embarque exibindo para quem quiser ver a sua carteira internacional de imunização. E, se por acaso houver uma pedra no meio do caminho, não desista, é só recalcular a rota!

Centro histórico

Para os desavisados que chegam, a cidade ajuda, é muito fácil compreender sua lógica turística. Hospede-se, coma e passeie dentro do centro histórico, a chamada "ciudad amurallada". Resumindo, a área é cercada por uma muralha construída pra lá dos séculos XVI e XVII para proteger contra ataques de piratas. Dentro tudo é turístico, colorido, musical e seguro. Vale a pena se perder pelas ruas para contemplar o casario preservados com seus balcones (sacadas) cobertos de trepadeiras; praças tomadas por vendedores de frutas (conhecidas e exóticas); museus gratuitos e pagos. É uma atmosfera única, que vale a pena dedicar pelo menos três dias para entrar no clima.

Passeios

A partir ou dentro de Cartagena é possível fazer vários passeios. Tem city tour nos ônibus coloridos (pesquise no google como se diz ônibus na Colômbia, não é publicável) bem turistão. Legal mesmo é gastar a sola do sapato, deixa o ônibus só para tirar foto. Tem o Castelo de San Felipe, que na verdade é um forte e me causou menos impacto que a muralha. Legal mesmo é assistir ao pôr do Sol no Café del Mar, um bar suuuper legal, cheio de gente bonita e música boa que fica em cima da muralha! Tem também o Museu de Arte Moderna de Cartagena (o que mais gostei), o Museo del Oro Zenu (mostra a história de ouro dentro da civilização antiga do país) o Museu da Esmeralda (é mais para uma loja de jóias que um museu de fato, mas é de graça, então tá valendo).

Ilhas

Saindo de Cartagena dá para fazer uma infinidade de passeios de um só dia para ilhas no Mar do Caribe. Essas três últimas palavras são mesmo tudo aquilo que se diz e nem a lente do melhor fotógrafo é capaz de reproduzir o efeito da luz azul turquesa daquelas águas diretamente nas nossas retinas. Recomendo a Playa Blanca, na Isla Baru, para quem quer mais agitação, ambulantes, passeios de jet ski. Quem prefere algo mais reservado, o destino é alguma das Islas del Rosário. A Isla del Pirata é um pedacinho privado de terra onde funciona um hotel. Um bom passeio é o day use no local, que pode ser contratado em uma agência de viagem na cidade histórica. Sai por 50 mil pesos, incluindo ida e volta de barco e almoço. Lá ainda é possível contratar atividades como snorkel e stand up paddle.

Comidas

Tudo é muito, muito, muito, muito gostoso mesmo! Basicamente você vai poder comer frutos do mar frescos e preparados deliciosamente com acompanhamentos suculentos pagando menos de 40 mil pesos colombianos (em torno de R$ 42). Recomendo comer um peixe frito acompanhado de salada, arroz de coco e patacones (banana da terra verde amassada e frita) em alguma ilha que for visitar nas proximidades de Cartagena. Por serem pontos ainda mais turísticos, vale negociar o preço antes de fazer o pedido para não levar susto. Dentro do centro histórico recomendo o ensopado de frutos do mar (vem lula, polvo, camarão, ostra, peixe, etc, etc, etc...) acompanhado dos mesmos arroz de coco e patacones servido no Be Lounge por apenas 30 mil dinheiros colombianos. Serve uma pessoa totalmente esfomeada ou duas que queiram deixar espaço para a sobremesa.

Dicas

Os vendedores, de forma geral, são muito insistentes na Colômbia. Se você quiser recusar algum produto ou serviço, não adianta simplesmente dizer "no, gracias". É preciso falar isso com convicção, cara séria e ser firme até o fim. O lado bom é que eles são tão adeptos da conversa mole que há espaço para negociar preços sem que eles se ofendam.

Café

O café colombiano é um dos melhores do mundo. Sem entrar em detalhes técnicos como clima, solo, etc, quem tem o costume de tomar café vai sentir a diferença. É muito bom! Seja para tomar um delicioso café gelado (Cartagena é muito quente) ou para comprar a especiaria em grão ou pó como souvenir, o destino é o Juan Valdez.

Deixe seu comentário: