Tá querendo viajar?
Então vai pra Cuba!

Um roteiro com dicas muito além de Havana

Por Marina Padilha

Esteja pronto para aceitar que você muito provavelmente vai chegar ao fim deste texto mudando a sua perspectiva. "Vá para Cuba" não deverá mais lhe parecer ofensivo. Visitar o arquipélago cubano, na verdade, pode até surgir na sua lista de desejos em breve. Escrevo de coração aberto, desejando abrir também o seu. Duvideodó que depois deste relato e destas fotos, não vá se encantar como eu, como meus amigos que, incrédulos, me perguntavam: "Por que Cuba?". Vem cá que eu vou te contar!

Comecei a programar as férias faltando exatos cinco meses para os vinte dias mais divertidos que estavam por vir. Pensava, a princípio, em botar a mochila nas costas e não arredar o pé da América do Sul. Montamos um roteiro Chile-Peru-Bolívia. Deus bem sabe que eu não aguentaria um mochilão quando, na verdade, o que mais desejava era sossego. Ainda bem que fui sensata. A dúvida era, então, entre México e Cuba. O desejo de ainda poder ver um pouco da história como ela é nos livros há tanto tempo nos levou a uma terra de resistência e patriotismo como nunca antes havia visto.

A questão do orgulho próprio é de se admirar. Principalmente ao sair de um Brasil tão descrente em tempos melhores. A exaltação ao 26 de julho é estampada em todos os lugares. A cada quilômetro percorrido, nas fachadas dos prédios, nas casas das pessoas. As dificuldades claramente estão lá, nos rostos de cada um, no jeito simples de se levar a vida, mas o orgulho por educação, saúde e segurança de qualidade para todos é quase unânime.

O conceito de igualdade, no entanto, já se vê distorcido ao andar pela Cidade de Havana. Os moradores de rua são raramente vistos. Em dezoito dias de viagem, sendo sete deles na capital, devo ter visto dois ou três, no máximo. Mas é evidente a diferença entre algumas localidades, enquanto os mais ricos que, geralmente, são os que vivem do turismo, começam a se agrupar e formar os bairros mais nobres, como o de Vedado.

Dica:

Para entender melhor alguns dos tópicos abaixo e também se preparar para as férias no arquipélago, fique sabendo que lá você terá à disposição duas moedas: CUC, voltada para os turistas, e CUP, a local. Um CUC atualmente vale aproximadamente 1 dólar e 20 CUP. Há restaurantes e lugares que trabalham com as duas moedas, outros que só aceitam a que é voltada para os cubanos e os que são destinados aos estrangeiros.

As praias de Cuba são de deixar qualquer um boquiaberto. Sim, nasci e vivi no Recife durante todos esses quase 25 anos. Passei por diversas outras cidades no litoral brasileiro e, ainda assim, me surpreendi com as do território cubano. Principalmente as da ilha de Cayo Largo del Sur: Sirena e Paraíso. Talvez lhe digam que não vale a pena o desgaste ou o dinheiro gasto. Pagamos 261 CUC (aproximadamente R$ 850) por pessoa em um pacote com passagens aéreas e três diárias em resort all inclusive e posso lhe dizer com toda a certeza: valeu muitíssimo. O serviço é de extrema qualidade e o Cayo (que significa pequena ilha) é o único dos cubanos banhado pelas águas caribenhas.

Depois de Cayo Largo, fomos ainda a Trinidad, que fica a aproximadamente quatro horas de viagem de Havana; Varadero, distante da capital apenas uma hora; e Santa Maria, que é uma das praias do Leste, a pouco mais de vinte minutos. Não chegavam à altura da ilhota, mas eram belíssimas. Trinidad e Varadero são cidades voltadas para o turismo como Porto de Galinhas (PE) e Pipa (RN). A primeira tem as ruas de pedra, é cheia de ladeiras, lembrando Paraty (RJ) ou Ouro Preto (MG), e tem drinks maravilhosos como piña colada, mojito e daikiri a 1,50 CUC (gracias por eso, Dios).

Mas nem tudo é praia por lá. Em Trinidad, você pode curtir as cachoeiras da reserva natural de Topes de Collantes. Na área, onde também se produz o café cubano, há cavernas, grutas, rios e cachoeiras para explorar, além de conhecer um pouco da flora típica da região. É lindo e de uma energia indescritível, mas se você não é dos mais dispostos, melhor pensar bem e planejar a visita. Escolhemos a cachoeira de Vegas Grande, por ser a mais bonita, mas a descida de aproximadamente 40 minutos é extremamente difícil. A subida (que deve ter durado umas duas horas) é quase impossível. Outro passeio para quem não quer mais pegar um sol por lá é o de Viñales, cidade que fica a cerca de duas horas de Havana. Você pode conhecer o processo de fabricação dos charutos artesanais, da cachaça da região e do café. Tem ainda o passeio a cavalo e o Vale de Viñales, considerado Patrimônio Mundial da Unesco devido à beleza natural e arquitetura vernacular.

 
 

Em Cuba tem festa todo dia, até porque o fluxo de turistas é altíssimo, mesmo no mês de maio, quando já se inicia a baixa estação. Nos fins de semana, fiquei surpresa com o número de cubanos pelas ruas, indo e vindo de suas programações e até conversando nos bancos das praças durante a madrugada, provando que o país é, de fato, seguro. Em Havana, nos arriscamos na salsa e contemplamos um verdadeiro show dos nativos e de turistas que acabavam de aprender a dançar na Casa da Música. Em Trinidad, a festa na "Cueva" era mesmo no fundo de uma caverna e cheia de reggaeton ("Despacito", como esperado, tocou umas 30 vezes). Foi o ponto alto da vida noturna em Cuba. Varadero, apesar de termos ido em um fim de semana, foi mais parado, curtimos uma banda cover em um bar temático dos Beatles cheio de turistas.

Dica

Aproveite que falamos de música e reggaeton para curtir um que, quase como "Deeeeeees-pa-ci-to", era a sensação nas festas cubanas. "Subeme La Radio" é uma parceria entre Enrique Iglesias, Descemer Bueno, Zion & Lennox. O clipe foi gravado onde? Em Havana! ♥

Se tem um negócio que eu realmente levo a sério na vida é a comida. Os preparativos para a viagem envolvem arrumar a mala e pesquisas para saber logo se vou comer bem. Quando descobri que a amiga de uma amiga quase passou fome por lá porque não gostou da comida, já me desesperei. E, de novo, Cuba me surpreendeu. O prato principal é o 'cerdo', ou seja, porco. A carne suína é a dominante na maioria dos restaurantes. Principalmente o 'Cerdo Uruguayo', que é a carne de porco envolvida em queijo e presunto e empanada. Deliciosa! Outro prato famoso por lá, mas este de carne bovina, é o chamado 'Ropa Vieja': com a peça desfiada e cozida com pimentões vermelhos. DI-VI-NO! Quando foi chegando o fim da viagem e o dinheiro foi acabando, ainda tivemos a sorte de descobrir a 'hamburguesa'. O hambúrguer de rua (também suíno) custava 8 CUP. Apenas centavos de real por um hambúrguer banhado a óleo, mas delicioso. Vá por mim: éramos uma cheia de alergias, uma intolerante à lactose e uma conhecida pelo estômago de aço (Marina, prazer) e ninguém passou mal.

 

Dica:

Se quiser realmente economizar, é bom, quando já for à casa de câmbio cubana trocar o seu dinheiro por CUC, pedir uma parte na moeda nacional. Assim, pode comprar água e comida por preços mais acessíveis.

Nem tudo é perfeito, é verdade. Cuba não é exceção. Às mulheres, fica aqui o alerta para que levem consigo uma dose extra de paciência e coragem. Os homens cubanos são extremamente inconvenientes. Reforço: extremamente. Você dificilmente vai conseguir dar dois passos sem ser abordada, sem ouvir uma cantada. É constrangedor e exaustivo. É a qualquer hora do dia, em qualquer lugar. Por onde passamos, fomos incomodadas e intimidadas por eles. Notamos ainda que era algo que faziam com todas as estrangeiras. Se você pretende viajar sozinha, então, é bom estar sempre alerta. Eles não costumam tocar ou puxar, mas rebatem qualquer que seja a sua resposta ao que consideram 'um agrado'.

Dica:

Como o comércio em Cuba, obviamente, quase inexiste, você pode levar itens daqui do Brasil na mala para ajudar. Muitos sentiam falta de produtos básicos e que não vão tomar muito espaço na sua bagagem como creme dental, sabonete, lápis e caneta. Nas casas onde ficar hospedado, você ainda pode levar mercadorias para trocar por algumas noites de estadia. Bolsa, almofada para o pescoço, capinha para o celular, roupas... Se for colorido, então, eles ficam ainda mais encantados.


Ficou com alguma dúvida ou precisa de mais informações para preparar o roteiro e começar a arrumar as malas? Manda um e-mail para mpadilha@ne10.com.br.




HURRICANE JERI

Foto: Divulgação

Ao lado do Essenza, Chili Beach e Vila Kalango, o hotel Hurricane Jeri forma o quadrilátero do “luxo pé na areia” de Jericoacoara, paraíso no litoral cearense. Com vista para a Praia da Malhada, a piscina com borda infinita em forma de lagoa foi construída em areia compactada e é um dos principais atrativos e convite ao relaxamento do hotel. De dia, se mistura ao cenário da praia à frente dos bangalôs de madeira e palha. À noite, ganha luzes e som para quem quer esticar na água, curtindo os drinks e comidinhas do lugar.

Site: www.hotel-hurricane-jericoacoara.com/

CAMURIM GRANDE

Caminhando distraído pela praia de Maragogi, bem pertinho do pontal, você não vai perceber que ali, por trás das sombras dos coqueiros, tem uma das mais charmosas pousadas daquele pedaço de litoral. A Camurim Grande, com seus bangalôs em volta da piscina, fruteiras espalhadas em sua extensão (que na frente, mira o mar e, aos fundos, beira o rio), é recanto perfeito para quem procura paz - o mundo externo fica já na recepção, quando você precisa deixar o estresse e seguir de carrinho de golf até a área da pousada. A brigada do lugar não vai deixar você se preocupar com nada, além de desfrutar aquele pedaço de paraíso em que simplicidade é puro luxo.

Site: www.camurimgrande.com.br

VILA BRINCANTE

Se o mar para a criançada já é uma festa, imagina uma “vila praieira” inteirinha dedicada aos pequenos, com direito a barco pirata, recanto de leitura, quitandinha, casinha de bonecas, além de contação de histórias e festa do pijama? A Vila Brincante, no Village, em Porto de Galinhas, já é diferencial para quem tem criança e vai procurar o balneário para passar férias em família. E, em outubro, a programação está ainda mais recheada. Durante o mês das crianças, será realizada a Fantástica Fábrica de Brinquedos, em uma área anexa ao espaço. Com recreadores, os mini-hóspedes vão criar brinquedos tradicionais, a exemplo de cavalo de pau, rói-rói, cobra de copos, planadores e muito mais.

Site: www.villageportodegalinhas.com.br

ATELIÊ WÄLS

O Ateliê Wäls está para Belo Horizonte assim como as vinícolas estão para o Rio Grande do Sul. O complexo, inaugurado na capital mineira neste ano, só consolida a vocação boêmia do estado, conhecido pela sua paixão pela cerveja. Na estrutura de conceito moderno, montado em madeira e metal simulando uma barrica aberta, é possível percorrer os diversos ambientes que giram em torno da bebida e desfrutar todos os rótulos da marca. Restaurante, bar (com uma incrível cortina de 135 mil 482 rolhas), lojinha, cervejaria integram o espaço que une os conceitos de turismo, gastronomia e arquitetura. Imperdível.

Rua Gabriela de Melo, 566, Olhos D’Água,
Belo Horizonte, MG.

Deixe seu comentário:

Outras edições