MARCAS MAIS LEMBRADAS NO RANKING GERAL

As poderosas

Não basta estar na lembrança, na mesa, na casa, na vida do pernambucano. O que toda marca mais sonha mesmo é ser a mais lembrada, a queridinha do povo. Uma pesquisa sobre as “mais mais” do público, no entanto, tem suas peculiaridades.

Há a marca que as pessoas primeiramente pensam ao serem perguntadas: “qual a primeira marcar que lhe vem à cabeça?”. Esta é a nossa TOP Recall.

Há ainda aquela que é o selo Verde, anda de ladinho, na mente do consumidor, com o tema sustentabilidade, cuidado com o meio ambiente.

Outro destaque é a Recall Desempenho, concedido à empresa que teve melhor desempenho comparada com o ano anterior. Seria a que mais “cresceu” em termos de citações dos entrevistados.

Uma categoria, no entanto, merece destaque especial: são as marcas mais lembradas no ranking geral. São aquelas que tiveram maior percentual de lembrança na sua categoria e em comparação a todas as demais pesquisadas. Essas são as po-de-ro-sas.

A mais lembrada de todas

Mania de pernambucano, de brasileiro e, cada vez mais, de gringo. A Engarrafamento Pitú é a grande campeã do JC Recall de Marcas 2017: a marca mais lembrada no ranking geral. Como se não bastasse, a Pitú conquistou ainda a categoria aguardente. A primeira homenagem se destina a empresas capazes de construir uma imagem tão sólida através de investimentos massivos em produtos e no relacionamento com o cliente, como é o caso da branquinha querida, que atinge o maior percentual de lembrança e aparecem como a mais lembrada pelo consumidor.

A Pitú nasceu no município de Vitória de Santo Antão, Zona da Mata do Estado, em 1938. Da pequena cidade de economia açucareira, a marca cresceu e se tornou uma gigante. Atualmente, fabrica as cachaças Pitú, Pitú Gold (envelhecida premium), Pitú Vitoriosa (extra premium), Pitú Limão, Vodca Bolvana e Do Frei (bebida à base de vinho). Produziu, em 2016, cerca de 98 milhões de litros de bebida alcoólica e é líder de mercado no Norte e Nordeste do Brasil. Prestes a completar 80 anos de atividade, é a maior exportadora de cachaça do País.

Além da tradição da marca, a Pitú calélonsegue ser lembrada com carinho pelos consumidores graças ao investimento em plataformas digitais. Nas redes sociais, a aguardente está próxima à marca de um milhão de curtidores no Facebook e no Instagram já tem mais de 25 mil seguidores no perfil @pituoficial. “O consumidor da Pitú adora a marca. Investimos muito em marketing, principalmente nas nossas redes sociais e no patrocínio de eventos, tudo para estar perto do público e nos aproximarmos dos mais jovens. Estamos falando de quase 80 anos de longevidade e fidelidade”, explica o presidente da Pitú, Alexandre Ferrer de Moraes.

Outra ação da aguardente que garante o posto entre as mais lembradas e amadas é o lançamento periódico das tradicionais latinhas de 350 ml da branquinha em embalagens comemorativas. Por ano, são quatro rótulos especiais: no ano-novo, no Carnaval, no festival de música Abril pro Rock e, por fim, no São João.
Há, ainda, o Repórter Resenha da Pitú, que promove a interação entre a marca e o público em eventos e pelas ruas ao realizar entrevistas bem-humoradas, desafios e performances. A equipe do Repórter Resenha já gravou os vídeos em diversas localidades da Região Metropolitana do Recife, no interior de Pernambuco e até na Paraíba. A brincadeira já esteve presente no Carnaval de Olinda, no São João de Caruaru, na Vaquejada de Surubim e na final da Copa do Nordeste 2016. Os vídeos podem ser acessados no canal oficial da Pitú no YouTube: https://www.youtube.com/ user/PituOficial/videos.

DE VITÓRIA PARA O MUNDO

Desde os anos 1970, a Pitú comercializa a “marvada” para o exterior. O primeiro mercado externo foi a Alemanha. Atualmente, a marca envia cerca de dois bilhões de litros de cachaça por ano, principalmente para os Estados Unidos e para diversos países da Europa (Alemanha, Áustria, Suíça, Portugal, Espanha, Itália, Reino Unido, Irlanda e França, entre outros). Agora, a novidade é a entrada na Ásia, mirando principalmente a Índia e retomando as exportações para a China.

“Estamos falando de mais de 1,2 bilhão de potenciais consumidores em cada país e de economias que crescem em torno de 7% ao ano. Como a segunda maior fábrica de aguardente do País, não poderíamos ficar fora deste mercado”, salienta a diretora da Pitú, Maria das Vitórias. A julgar pelo sucesso da caninha em todo o Brasil, a expectativa é que a Pitú conquiste cada vez mais mercados e continue sendo uma marca tradicional e respeitada. Em todo o mundo.

Expediente

29 de Novembro de 2017

Diretor Comercial

Vladimir Melo

Produção de Conteúdo

JC360

Edição

Fernando Carvalho

Textos

Mia Comunicação

Front-end

Bruno de Carvalho

Projeto Gráfico

Karla Tenório
George Oliveira

Imagens

Divulgação

Tratamento de imagens

Alexandre Lopes